Nesta vida louca, no meio da correria das nossas rotinas, às vezes parece que falta algo. Assim, nos vemos em busca de coisas, sensações, sentimentos, pessoas, sem mesmo saber o porquê. Talvez você ache loucura, talvez até não concorde. E está tudo bem. Mas ainda assim sei que em poucos momentos do seu dia (ou em muitos) lá estão os pensamentos de que algo poderia ser diferente. Por mais que não concordemos, acabamos por olhar para pequenas caixinhas condicionadas por clãs familiares, associações e grupos de amigos como se fossem a realidade. E nos acostumamos com a média. E aceitamos que nem tudo dá pra ser perfeito. E nos condicionamos a aceitar a vida como está. E aí, quando menos esperamos, um lampejo de lucidez diz que falta algo.

Talvez o que esteja faltando seja olhar pra você mesmo. Para o quão interessante você é, com todas as suas qualidades e defeitos também, porque estes também nos sustentam. Somos 7 bilhões de histórias incríveis e nos acostumamos ao modelo, ao médio, e enfim, ao medíocre. Não é à toa que achemos que falta algo em nossas vidas.

Somos condicionados a acreditar que não somos bons o bastante, que não temos o bastante, que não fazemos o bastante. A culpa então nos ajuda a manter bem firmes as grades que nós mesmos criamos, para que o mundo seja cada vez mais ‘normal’.

Que tal mudar o cenário? Talvez ao fazer essa pergunta, você se dê conta que a questão não é essa, porque você já sabe que quando muda, as respostas e tudo a sua volta mudam também. Somos apegados ao nosso costume, à nossa mediocridade, ou zona de conforto, se assim preferir. O grande desafio é abrir mão de tudo o que não faz bem, de tudo que nos deixa distantes do que chamamos de felicidade. O passo, porém, não é lá muito fácil e tem preço. Você perde coisas, situações e pessoas que aceitam ser mais ou menos a vida toda. Essas não tem mais sintonia com suas escolhas.

Mas talvez essa seja justamente a saída. Abrir mão. Se você aceitar esse convite que vez ou outra a vida lhe faz, tenha a certeza de que seu mundo não será mais o mesmo. E talvez você perceba que é exatamente isso que queria.