O líder e o sonho

Qual é o seu sonho? Acredito que muitas vezes você já ouviu esta pergunta. Talvez em uma entrevista de seleção ou em uma conversa, com amigos. Se você é um líder, talvez você faça esta pergunta quando busca pessoas para trabalhar ao seu lado. Empreendedores sonham sempre, e fazem de tudo para colocar seu sonho em prática. Parece que somos avaliados em algum momento pela nossa capacidade de sonhar. Mas depois desta pergunta importante, vem outra: quantos sonhos você já realizou? Porque veja, num mundo tão racional e cheio de momentos que talvez nos deixem sem motivação, como dizem alguns, já seria suficiente nos permitirmos sonhar. Mas não parece que a realização de nossos sonhos nos daria força para fazer tudo melhor a cada dia?

Claro que sim. Mas da mesma forma que somos estimulados a sonhar, parece haver um certo desconforto quando partimos para a ação. Pense bem, quantas pessoas comemoraram com você quando decidiu começar seu negócio e abriu mão de seu emprego? Ou ainda quando decidiu fazer aquela viagem que só ficava sonhando por anos? Há algo de assustador em realizar sonhos. É uma ponte que poucos atravessam, a de trazer o sonho para a vida real. Às vezes sentimos que não merecemos, ou não nos permitimos. Mas ao realizar, de alguma forma, mostramos aos outros que eles também podem. Acabamos por dar permissão aos outros.

 

E veja, permissão para realizar é PODER.

Se você é líder de uma equipe, esta poderá ser a sua principal ferramenta. O que seriam as metas da organização senão os sonhos traduzidos em um plano de ação? Quando a equipe sonha junto com o líder, metade do caminho já está andado. Você poderá conversar e reforçar as metas desenhadas no início do ano ou do mês. Você poderá ‘tirar a poeira’ dos sonhos de cada um, mostrando a eles que ao cumprir as metas e manter a empresa rentável, eles também estão a cada dia mais perto dos seus objetivos. É claro que estimular a equipe a realizar pode ser difícil. Vai exigir transparência consigo mesmo. Ver que é melhor ter pessoas que estão na organização não só pelo salário, mas por um propósito. E se o líder não tiver claro qual é o seu, isso pode ser um problema.

Líderes que não conhecem o seu propósito sentem-se desconfortáveis com os que sonham e com os que realizam. Muitas vezes tem a sorte de ter pessoas assim em suas organizações, e não é raro ver estas pessoas sendo encorajadas a seguir o grupo num comportamento mais ‘alinhado’ e às vezes medíocre. Claro, pessoas assim não anseiam pela segunda-feira, mas pelo final de semana. Reclamam do chefe e esperam aumento de salário. Trabalhar é um fardo. Mas ainda assim, são mais fáceis de manipular ou de consolar.

Quem sonha, não. Quem sonha quer mais. Provoca os outros a partir do exemplo. Muitos não entendem de onde vem tanta força, tanta energia. Parece que não são tão afetados pela realidade. Eles sabem que podem CONSTRUIR A PRÓPRIA REALIDADE. Anseiam por todos os dias, não só pelo final de semana, porque sabem que todos os dias podem viver da melhor maneira, e que alinhados ao seu propósito, cada dia é mais um dia de realizações.

Pessoas assim incomodam apenas quem quer viver no conformismo, pois estimulam todos os que estão a sua volta. Um líder assim transforma as pessoas no melhor que elas podem ser todos os dias, através de uma comunicação amorosa e transparente. Um líder assim enfrenta as adversidades junto com o grupo, e não procura os culpados, mas alternativas de solução. Um líder assim, ciente do seu propósito, faz feedbacks consistentes e pergunta no que ele pode ajudar para que você chegue mais perto do seu objetivo, já que ele mesmo sabe que também está em desenvolvimento. Pessoas assim podem mesmo mudar o mundo. E você, qual o seu sonho?